Como quer meu médico militar continuar uma operação que meu pai e mãe não respeitam meu trabalho e querem-me num médico sem dar valor nenhum a verdade de meu problema fazer de mim esquizofrénico ou pior ainda, como vê meu desempenho nesta casa não resulta como mais é orbital ordem das coisas e como sou eu sujeito a superar o que me contrapõe a vida instabilidade sem justiça a que o meu medico militar culpa quem é culpado sem efeito nenhum ao minha reclamar de viver como indica então fonte ao que operar minha orelha sujeita condições de tomada e exercido árduo continuar a preferência de ordens da Marinha de Guerra Portuguesa aqui a minha casa e minha família pai e mãe sem jeito nenhum igualar o que de real sujeito minha vida e até uma cura de se tornar justo o que é visível aceitar, com aqui cair sobre uma mulher a tomada da convenção do sistema tudo que mais emerge a compor a fenda puxada e ressurgir opala como raiz antena o volume de luz a radiação atómica do escudo torna então linha cosmica una, como vêm anda aqui o animal deste juiz fazer uma figura que o médico militar devia ter vergonha sujeitar-me a esta merda que meu pai e mãe é uma vergonha!

Posted in Sem categoria | Leave a comment

Sem título

Sem título

On going doing Portuguese Navy instructions on opal vein antenna genetic line energy cylinder operation touch left ear pulled from cellphone and violence nasal lung receive no treatment, and along my medic military order by system effective women care what comport effects resume actions reconstruct the body over damage, are here ovary on light line along what evident suffer my structure combination of life and love.

Posted in Sem categoria | Leave a comment

É assim como uma mulher fica dentro de mim imaginar e caber minha esquerda veia opala antena linha genética puxada exercitar o que resulta atómica de eu mexer a orelha que foi puxada pela veia sim que o escudo leva um impulso de desvio ao pulmão seguido testículo nada aqui surge de cósmica da planta uma energia e o restauro da parte puxada como orbital confiar ao cilindro que junta essa ligação, ainda mais vê ovário luz que é veia romper o olho e fazer desvio a matéria e substancia como colocar a mão orelha mexida como resulta então o campo de interna derivação do campo esquerdo do me lado do corpo mutilado, como sistema que não têm evoluído da Marinha de Guerra Portuguesa deixar que tudo resulte conforme liberdade do crime prime evitar sintomático mutuo que uma mulher junta ao mais que é meu trabalho e esforço na vida combater esta linguagem do médico militar posto outros médicos psiquiatras deixar ao meu critério e assumindo esquizofrenia, que ilegal postura sociedade complementa ferir e evitar minha unção a uma mulher tudo mais que é combate de juntar ao compro a forma da união que uma mulher pertença a gráfica de sistema descrever e sofrer então efeitos do contorno geométrico e mais tudo que o escudo alinha em forçar ouvir a mulher que na estrutura completa ao ovário ramificar todo o astral desviado em buraco ruptura articulada do cilindro posto em desvio sim puxado como não substancia vector tem que colidir a nominal da energia unida e mais como longo da planta a raiz da veia é mais o que de espaço fura então ao longo da linha genética sobretudo o pulmão da aderência galáctica ao ar linha romper a cilindro cabimento tudo que juiz da veia escala inflamar por lei.

Posted in Sem categoria | Leave a comment

Como fazer esta operação como meu médico militar me fala mentalmente sem contribuir com uma solução o que mais descrever minha situação de prestação confirmar mais estados que confirma uma evolução e então é despromovida o atributo legal da conclusão chegada ao sistema e sintomas que responde minha função, sem respeitar a contribuição de propensão que a energia resultante da linha antena opala veia genética colide para justificar como se entenda realidade da minha colocação de mediação ao que a Marinha de Guerra Portuguesa me deixa isolado sem resultado efectivo a chagada de corresponder aos momentos verificados ultrapassar condicionalismos tangencias e circunstancias que mais algures é a expressão comum do assalto tomado e do abandono subjectivo nominal em que mais minha prestação se identifica como os resultados chegados ao testículo e movimento antena opala veia linha substancia modelo de convergir uma mulher de escala ao problema, em mais que a minha situação domestica manifesta a mutilação compilar sem informação médica qualquer impacto a minha paternidade e mais como me condiciona aqui em fecho do atributo silencio facto de expressão condicionada a negação de direitos e vasculoso impedimento ornamentação da estação dos sintomas e mais falência de percepção conjunta e nova negação do entendimento circunstancia envolvida dos agentes construir progressos de claro aferição do conjectural impacto da solução determinada a descrever o caso conflito de conjectura absolvida da instância típica do julgamento sujeito a negação sim de novo uma negação de regime oculto transportar fomento e fenomenismo não classificados acção.

Posted in Sem categoria | Leave a comment

Sem título

Operation going fail?

Posted in Sem categoria | Leave a comment

Amigos como sabem a Marinha de Guerra Portuguesa é a única coisa que pelo o médico militar continua esta minha minha vida de texto a denunciar de um crime que me puxaram com linha de telemóveis e violência uma veia que o juiz programou tortura-me até hoje sem resultados práticos, como mais tenho vindo a vos escrever muito agressivo no que é nossa leitura deste caso, aqui o médico Cláudio e além o estatuto urbano do Peres como o do Miguel Miraldo em mais que a Paula também entra nesta operação como eu aqui de casa dou propriedades nas redes sociais, mas então minha cura como mexer na orelha em sistema de efeitos que resume a operar como a Marinha de Guerra Portuguesa meu médico militar faz a mim comunicação total de processo sem eu encontrar fim este crime puxado linha genética do testículo e antena veia opala sendo aqui atómico procurar um ovário a luz do sol e substancia que sabem que meu volume do lado esquerdo não consegue unir a planta do corpo como mais a televisão no meu quarto continue ajudar mas sem solução tudo que descrevi já que é os sintomas e a geometria do corpo no atómico do cilindro linha planta e tudo mais que até urbano pelo sol molécula que eu vivo então puxado do efeito que sou ainda penalizado em viver sobre penalidade própria a sofrer com tudo sem solução nem justiça, pois mais como descrever como é vossa acção em que eu escrevo e resume que necessidade tenha vossa leitura, como mais eu vivo aqui sozinho de dialogo mental que qualquer mulher que existe sabe do meu processo e eu tenha de viver forçado em nada de justo que motiva a solução de minha vida que estou aqui condenado pelos meus pais em medida médica da verdade de cura e consulta ao que tenho vindo operar sem solução é de novo sem solução que continuo minha racionalidade com a sociedade sofrer com muitos e poucos a ajudar pela verdade de cura, vivo sozinho sem justiça isolado de justiça a viver qualquer alteração do que estou sujeito por este crime e não há critério da Marinha de Guerra Portuguesa dar solução nem liberdade de justiça ao que mais vou obedecer ao médico militar e me sujeito viver já a muitos anos neste computador como único trabalho que correlaciona então de resto o que de justiça não existe como sou programado pela Marinha de Guerra de Portuguesa a auto-excluir e viver sem saber de uma cura como vou ter mulher vida livre e junção do que sofro.

Posted in Sem categoria | Leave a comment

Vaz Serra e Zulmira Santos mais Miguel Mesquita deixa Reis Marques aqui hoje Horácio ouvir que eu e a Marinha de Guerra Portuguesa vou para sempre ser uma merda podre do caralho!Sem título

Sim a mexer na orelha ouvir veia culpa Sérgio e Angola com Diogo chamar-me cabrão ouvir sol que não cura a cona de um porco voz moda este quarto chupa-lo um boi lei sou paneleiro!

Posted in Sem categoria | Leave a comment